DIÁRIO DE VIGEM – NOVA PETRÓPOLIS

No terceiro dia de viagem seguimos para Nova Petrópolis pela BR-116, essa cidade, conhecida por sua colonização alemã, fica no meio do caminho para Gramado ou para Caxias do Sul.
O plano era chegar lá na hora do almoço para conhecer o Colina Verde, principal restaurante da região, famoso pelo seu rodízio de comida caseira alemã, mas chegando na cidade comecei a me sentir mal e acabei ficando o resto do dia no hotel, de cama!

Foi uma pena, pois pelo que pude ver no caminho a cidade é uma gracinha, seus bem cuidados jardins renderam o título de Jardins da Serra Gaúcha e a arquitetura alemã completa o clima bucólico.

Ficamos hospedados no Rothenburg, hotel bem novo e confortável, que fica na saída da cidade. Recomendo muito para quem vai para Nova Petrópolis, os quartos são bem espaçosos, cama deliciosa  e um super café da manhã.

Eu fiquei no hotel, mas a minha família continuou a programação e depois do check-in seguiram para o Colina Verde e eu pedi para eles registrarem tudo para vocês!

Esse restaurante serve um rodízio típico alemão com alguns toque italianos e tudo, como é de costume da região, vem a mesa! Pela foto da pra imaginar a comilança, né!? Em breve faço o post completo para vocês.

De lá o plano era conhecer um pouco da cidade e o Parque Aldeia do Imigrante, que é a principal atração de Nova Petrópolis, mas caiu um super chuva e eles acabaram dando uma volta rápida pelo comércio local, onde encontraram uma loja da Tramontina com ótimos preços – a Tramontina tem fábrica na região então existem alguns outlets pelas cidades da Serra Gaúcha.

O jeito foi voltar pro hotel, descansar um pouquinho e deixar o resto da programação para o dia seguinte!
A noite saímos para tomar uma sopinha apenas e dormimos cedo para no dia seguinte, antes de partir para Bento Gonçalves, visitar o Parque Aldeia do Imigrante.

No dia seguinte acordamos cedo, fizemos check-out e corremos para o Parque Aldeia do Imigrante, que conta a história da imigração alemã na região.
O parque é uma graça, possui lojinhas típicas, um legítimo beergarten alemão, lagos para andar de pedalinho e sua maior atração, uma aldeia original da época da colonização.

A aldeia é bem legal e bonitinha, parece até um cenário montado – em breve também mostro com mais detalhes para vocês.

De lá caímos na estrada novamente, dessa vez rumo a Bento Gonçalves, amanhã conto para vocês!!

Deixe um comentário

X