PERU – COMO CHEGAR E COMO VISITAR MACHU PICHU

Machu Pichu é um dos lugares mais impressionante que eu já visitei e isso se deve, em grande parte, pela sua localização no alto das montanhas, no meio do nada.  Ou seja, não é nem um pouco fácil chegar lá, então aqui vai um guia bem completinho para quem busca visitar a região de Machu Pichu.






Aguas Calientes/ Machu Pichu Pueblo
Ao contrário do que muitos imaginam, Machu Pichu não é uma cidade e sim um sítio arqueológico onde existiu uma cidade inca na época pré-colombiana ou seja, ninguém mora ou se hospeda ali. Então, para realizar a visita você precisa se hospedar em Aguas Calientes, único vilarejo que da acesso a cidade sagrada.
Aguas Calientes é minúscula e não tem grandes atrações alem da visita à Machu Picchu, por isso uma noite por lá é mais do que suficiente.

Como chegar em Aguas Calientes
Chegar em Machu Pichu não é nem um pouco simples! Primeiro você tem que ir para Cuzco e de lá ou de alguma outra cidade no Vale Sagrado pegar o trem até Aguas Calientes/ Machu Pichu Pueblo. O problema é que o acesso é limitado, são poucas opções de trem e muitas não batem com o horário dos voos vindos de Lima, então de uma atenção especial a esse trajeto quando for planejar a sua viagem para não dar tudo errado!
Existem duas empresas que fazem o trajeto, a Peru e a Inca Rail, a primeira é mais conhecida e opera bem mais trens, já a segunda é mais nova, mais barata, tem ótimos trens, mas tem menos horários. A Peru Rail opera três categorias de vagões que saem de três diferentes estações com destino a Machu Pichu, Poroy (em Cuzco), Ollantaytambo e Urubamba. Já a Inca rail sai apenas de Poroy e Ollantaytambo e tem quatro classes de vagões.
Acabamos escolhendo a Inca Rail por ter horários que batiam com os nossos e adoramos, contei toda a minha experiencia aqui.


Outra opção é realizando a Trilha Inca, um percurso que dura 4 dias de caminhada e sai dos arredores do Cuzco, mas como eu não sou a melhor pessoa para falar sobre.


Como chegar em Machu Pichu
Depois de chegar em Aguas Calientes você tem duas maneiras de subir até a cidade sagrada. A primeira é caminhando, mas só recomendo se você tiver um excelente preparo físico, pois a subida é longa e ingrime. A outra alternativa é pegando um ônibus operado pela Consettur, ele custa US$20 por pessoa ida e volta e pode ser comprado na hora. O ônibus sai bem do centro da cidade de 20 em minutos, se eu não me engano e não é difícil localizar a bilheteria.

Comprando o seu ingresso para visitar Machu Pichu
Ta aí outro ponto importante ao programar a sua viagem, a visita à Machu Pichu é limitada a 2500 pessoas por dia e na alta temporada esses ingressos acabam com meses de antecedência. Mais limitado ainda é o ingresso para as trilhas que levam ao topo das montanhas Machu Pichu e Huayna Pichu, são apenas 400 por dia em cada uma, portanto se você quiser visitar alguma delas se programe com o máximo de antecedência possível.
Os ingressos custam US$62 (tem meia entrada para estudantes com carteirinha)  e são vendidos pela internet no site oficial do governo peruano, mas você também consegue compra-los de algumas operadoras de turismo.

Apesar de recomendar a antecedência para vocês não foi bem isso que eu fiz, como decidi viajar uma semana antes não foi possível comprar pela internet e nos compramos lá em Aguas Calientes mesmo no Centro Cultural da cidade. Por sorte ainda haviam ingressos para o dia seguinte. O único problema é que o pagamento tem que ser feito em soles peruanos, não são aceitos cartões e nem dólar.

Visitando Machu Pichu
Prefira realizar a visita pela manhã, quanto mais cedo melhor, assim o sol é mais fraco e tem menos gente que a tarde. Esteja preparado, use roupas confortáveis, tênis e leve uma mochila com protetor solar, muita água e um lanchinho, pois lá dentro não vende nada. Comece o passeio com calma, logo na chegada há uma bela subida que pode te fazer passar mal graças aos 2400m de altitude, não se assuste se você ficar ofegante facilmente, é um dos efeitos do ar rarefeito.

Começamos a nossa visita com a trilha para a Ponte Inca, ela é bem fácil, não exige muito esforço e garante lindas vistas de Aguas Calientes e da ponte propriamente dita. O percurso demora uns 40 min e é gratuito, basta colocar o seu nome na lista na entrada, um controle para caso você suma, rs. Apesar de dispensável para quem tem menos tempo ou para quem não quer andar muito, é bem interessante ver como os incas construíram a ponte, muitos acreditam que a cidade ficou tanto tempo ali intocável graças a ela e o seu sistema de armadilha que não permitia que os outros povos a atravessassem.

Em seguida visitamos a cidade em si. Você tem a opção de contratar um guia por US$60, mas como a nossa viagem era low buget optamos por fazer a visita sozinhas.

Não fizemos nenhuma das trilhas das montanhas, não conseguimos ingresso e acho que não teríamos o condicionamento físico necessário, então conseguimos visitar tudo em pouco mais de 3 horas com bastante calma e tirando muitas fotos.

Na hora de voltar encontramos uma pequena e rápida fila para pegar o ônibus. A descida é ainda mais emocionante, os motoristas correm muito e parece que o ônibus vai despencar, rs.

O passeio é incrível, é realmente impressionante pensar como eles conseguiram construir toda uma cidade naquela localização, uma coisas que todos deviam ver pelo menos uma vez na vida!

Saiba onde comer em Machu Pichu.

Deixe um comentário

X