Com.POT traz a tradição do hummus ao mercado brasileiro

Criado pela parceria entre a artista
Sheila Mann e o empresário Marcos Shayo, o produto traz qualidade caseira com
ação social

Foi na intenção de atuar de algum modo pela
paz e unir diferentes comunidades que a libanesa Sheila Mann idealizou o
hummus Com.POT. A pasta, que usa como ingrediente base o
grão de bico, tem origem no Oriente Médio e é, historicamente, alimento de
povos com grande diversidade cultural e religiosa, como israelenses e árabes.
Para transformar um ideal em realidade, Sheila se juntou a Marcos Shayo criando
assim uma marca que além de alimentar, transmite valores. Isso, porque  a
preocupação com o produto não está só em sua forma de preparo e ingredientes,
mas também na mão de obra. Fieis à tradição brasileira de acolhimento a todos
os povos e sendo eles próprios imigrantes, Sheila e Marcos optaram por ter
na sua equipe de funcionarias mulheres de diferentes religiões, entre
elas duas refugiadas sírias. É dessa forma que não só a convivência e
a integração entre as diferenças são incentivadas, como também mulheres
têm seu trabalho reconhecido e valorizado.
Vendida em embalagens de 200 gramas (R$ 16,20), a pasta de
grão-de-bico e tahine Com.POT é encontrada em cinco receitas
diferentes, cada uma com sua particularidade e todas elaboradas pessoalmente
por Sheila. As opções, que dão mais sabor às refeições e de forma saudável,
desde o café da manhã até o jantar, incluem o Tradicional, Beterraba com
alho, Abóbora com pimenta dedo de moça, Cenoura com gengibre e Pimentão assado
e alho
. Ricas em fibras e ácido fólico, que ajudam no funcionamento do
intestino e na redução do colesterol, têm também grande quantidade de
proteínas, tornando-as boas substitutas às carnes para os vegetarianos, por
exemplo, ou um acompanhamento saudável, livre de glúten, lactose e gorduras
hidrogenadas. Todo o processo de produção, que é caseiro e artesanal, acontece
na recém-inaugurada fábrica na Barra Funda.
Com o lema “Faça hummus, não faça guerra”, a empresa colabora
com a prática da convivência pacífica entre as diversas religiões não só em seu
local de produção, mas juntamente com instituições que trabalham pela paz em
Israel e Palestina, como a “Parents Circle for Bereaved Families”, “Breaking
the Silence” e “Rabbis for Human Rights”. A Com.POT tem parceria
e faz doações para a Amaivos, ONG brasileira que promove o diálogo
inter-religioso, o que permite que a marca use o selo “Contém Amor” em seus
produtos.
Sobre os sócios
Nascida no Líbano, de família judaica, Sheila Mann chegou aos
18 anos em São Paulo, onde se dedicou às artes plásticas, sua paixão. Com a
bagagem da culinária libanesa que adquiriu de sua mãe junto aos aprendizados
passados por sua sogra de origem síria, a gastronomia também se tornou uma
inspiração artística com poder de união e alegria, o que percebeu nos jantares
que costumava fazer para a família e amigos. Assim, em 2010, criou o POT –
Peace on Table, seu projeto que visa à paz entre religiões por meio de
banquetes e debates sobre o assunto. Em 2016 se juntou a seu genro Marcos
Shayo, judeu de origem argentina – de pai libanês, mãe argentina e avós sírios
– e empresário bem-sucedido,  com vasta experiência em start up’s. Marcos
foi um dos sócios fundadores da importadora de vinhos Grand Cru que em pouco
mais de dez anos se tornou líder do setor. Esta experiência junto com mais 7
anos de passagem pela multinacional Kelloggs como diretor de Operações na
Argentina e no Brasil, dão a ele uma visão diferenciada sobre o mercado e suas
oportunidades. Da nova sociedade, que une o dom artístico e visionário de
Sheila e o know how em negócios de Marcos, nasceu a Com.POT, marca de
hummus artesanal que promete levar ao consumidor o sabor caseiro e fiel às
origens.
Sobre o
POT – Peace on Table
Após ouvir a frase “israelenses e palestinos na mesma terra,
somos os dois lados da mesma moeda”, dita pelo rabino Henry Sobel em uma
ocasião, Sheila Mann teve seu momento de epifania que a fez criar o POT – Peace
On the Table, em 2010. Unindo a paixão pelas artes ao amor pela culinária
libanesa, ela realizou neste mesmo ano uma de suas performances de destaque na
Pinacoteca do Estado, com o tema “Nossas diferenças não podem superar
nossas semelhanças – Martin Luther King”, onde proferiu um discurso
pacifista e serviu um prato da culinária árabe. Do projeto nasceu “As
Mulheres do POT”, grupo que busca promover a conciliação entre comunidades
do cristianismo, judaísmo
e islamismo pela realização de encontros gastronômicos mensais. A
libanesa também publicou o livro “Culinária do Líbano a Israel”,
sobre memórias de sua origem árabe e judaica entremeadas de receitas libanesas,
em que destaca o seu amor pelas suas raízes, e atualmente organiza eventos
com degustações de suas receitas árabes, aulas de gastronomia e manifestos
sobre a questão das diferenças entre culturas.
Serviço
Com.POT
Informações: (11) 3392-3121
Onde encontrar: Casa Santa Luzia,
Casa Flora e em breve outros locais

Deixe um comentário

X